Livros de 2017

- 03 janeiro 2018 -
Uma das minhas grandes propostas e metas tem sido ler pelo menos 1 livro por mês durante o ano e até que eu tenho conseguido manter a meta digna, esse ano eu consegui ler 19 livros um pouco mais do que o ano passado o que me deixou bem satisfeita, não pretendo fazer resenhas dos livros, apenas a minha impressão sobre cada um, mas a quem se interessar, vou tentar linkar resenhas muito mais bem feitas das que eu jamais faria por aqui HAHAH. Aos livros então.

Dos que eu li
Conta comigo ♥♥♥♥♥ | Revival ♥♥♥ | O rapaz do colorado ♥♥♥ | Fúria ♥♥♥ | 1984 ♥♥♥♥♥ | John Taylor ♥♥♥♥ | Virgens suicidas ♥♥♥ | O filho de mil homens ♥♥♥ | A igreja do diabo ♥♥♥♥♥ | Biografia Metallica ♥♥♥♥♥ | Por um fio ♥♥♥♥♥ | O bazar de sonhos ruins ♥♥♥ | Memórias de uma gueixa ♥♥♥♥ | Jantar secreto ♥♥♥♥♥ | O retrato de Dorian Gray ♥♥♥ | Achados e perdidos ♥♥♥♥♥ | O último turno ♥♥♥♥ | Perfume ♥♥♥ | O médico alemão ♥♥♥♥♥

Dos livros que eu mais gostei

Conta comigo ♥♥♥♥♥ (resenha) - Eu sempre começo o ano meio desnorteada sem saber o que ler ou o que fazer da vida, tava me sentindo saudosista e resolvi reler esse livro (conto na verdade) que é um dos meus favoritos escritos pelo rei, junto com o Cadillac de Dolan que MINHA NOSSA, se você nunca leu APENAS LEIA.

1984 ♥♥♥♥♥ (resenha) - Sou do time que acha que todo mundo deveria ler esse livro em algum momento da vida, é um livro que retrata de alguma forma o que estamos vivenciando hoje, é um tapa na cara a todo momento.

A igreja do diabo ♥♥♥♥♥ (resenha) - Na verdade não é um livro é um conto bem curto (de umas vinte e poucas páginas) mas tem uma sacada muito genial do Machado de Assis sobre as motivações humanas.

Biografia Metallica ♥♥♥♥♥ (resenha) - Sou suspeita a falar a respeito de biografias em geral (porque eu sou fã) e do Metallica, porque né apenas Metallica. Acho esse tipo de material um pouco delicado de ser lançado, porque apesar de propor uma forma muito legal e completa para que possamos conhecer um pouco melhor o artista ou a banda em questão, acho um pouco falho quando quem escreve não tem ligação direta com a banda (jornalistas que são fãs da banda ou algo do gênero, sabe?) porque mais que você possa coletar informações e entrevistas nunca será a mesma coisa do que as pessoas que vivenciaram a banda, sabe? O que de fato é muito mais enriquecedor e autêntico. Eu me senti muito envolvida com essa leitura apesar dos famigerados "Então fulano falou", "Segundo entrevista tal".

Por um fio ♥♥♥♥♥ (resenha) - Já disse que eu sou fã do Drauzio Varella? Sou fã do Drauzio Varella. Também vi esse livro por indicação e comecei a ler sem mesmo saber muito a respeito, e posso falar? Valeu muito a pena! O livro retrata diversas histórias de pessoas em fases terminais de suas vidas, e tudo isso sob a óptica do Drauzio Varella, que além de médico super reconhecido e tals mostrou ser um ser humano incrível. Não foi o livro mais fácil que eu li esse ano, até porque a temática não é fácil (morte por doença / morte em geral), achei que o livro fosse ser super pesado (não que não seja), mas de alguma forma o Drauzio conseguiu mostrar muitas lições de vida com tudo isso, que não devemos nos deixar abalar facilmente (porque isso influencia diretamente na forma como lidamos com os obstáculos da vida, etc) um livro realmente inspirador.

Memórias de uma gueixa ♥♥♥♥ (resenha) - Comecei esse livro sem saber  muito o que esperar e por um tempo achei que fosse uma biografia verídica (não que eu não acredita que muita coisa que aconteceu no livro não tenha sido verdade) e cara, como esse livro me causou angústia, nojo, desespero, por várias vezes eu tive que parar de ler e digerir aquilo que eu tinha acabado de ler, passava dois, três dias para conseguir voltar a ler, não que seja uma leitura difícil, mas é densa, sabe? Coisas bem fora do que eu jamais imaginei que poderia acontecer, coisas que eu desconhecia sambando bem ali em frente aos meus olhos, acho que uma das leituras mais difíceis, mas não menos prazerosas desse ano.

Jantar secreto ♥♥♥♥♥ (resenha) - Vi indicação desse livro em algum canal do youtube e já achei fantástica a proposta do livro desde o início, um grupo de amigos a fim de sair da merda financeira que se instalaram por alguns motivos resolvem propor jantares para a alta sociedade carioca, só que esses jantares são feitos a base de carne humana (!!), sério o desenrolar desse livro é fascinante e nojento ao mesmo tempo,as descrições são muito detalhadas e acredito que elas são a chave do negócio, são elas que te fazem repensar mil vezes antes de voltar a comer carne, indico de coração.

Achados e perdidos ♥♥♥♥♥ (resenha) - A melhor leitura desse ano com certeza (estava em dúvida entre esse, o médico alemão, que eu já falo, e o jantar secreto, mas esse não teve nenhum buraco, nenhum deslize durante o livro todo, o final foi surpreendente, aliás foi maravilhoso da primeira página até a última, pra mim, com certeza o melhor da trilogia, diria até que as aparições de Jerome, Bill Hodges e Holly são totalmente desnecessárias (tá não são desnecessárias, mas é que eles não representam muito durante o livro) hahaha.

O médico alemão ♥♥♥♥♥ (resenha) - Já tinha assistido o filme (que eu também SUPER INDICO) e quando eu soube que existia o livro (que foi escrito por uma mulher (Lucia Puenzo), que foi a mesma que dirigiu o filme) me deixou muito entusiasmada em lê-lo, diria que o livro é uma ótima extensão do livro, apesar de ter muitas coisas que diferem do filme, mas ainda sim serve como um braço de apoio para as pequenas passagens do filme que não são dadas explicações suficientes ou apenas para entender melhor o que se passa (passava) na cabeça do Josef Mengele.

I wanna it all

- 02 janeiro 2018 -
Daí que fazia algum tempo que não comprava livros, muito menos livros do rei, porque veja bem, eu cultivo uma lista enorme de livros que eu quero ter, mas tenho espaço e dinheiro de menos, vivo priorizando qual eu compro e acabo não comprando nenhum (true story), mas foi ai que eu li achados e perdidos e MELDELS DO CÉU eu precisava desse livro pra mim, eu já disse o quanto Mr. Mercedes foi ok na minha vida, mas Achados e perdidos me fez ter vontade de passar uma tarde inteira tomando chá com biscoitos na varanda da casa do rei. COMPREI.

Foi ai que há dois milênios e meio eu vi essa imagem com esse gato tentadoramente arrasador do meu coração (E CÊIS SABEM QUE EU AMO GATO NÉ?) e todo mundo também deveria saber o quanto eu amo capas antigas de livro (e se forem do rei então, já tem o meu coração inteiro), mas a questão é que eu não encontrava em lugar nenhum essa capa em especifico com boa qualidade (por ser um livro antigo e tals) achei e agora minha vida mudou.

Continuando com a minha saga dos livros antigos, vi essa capa há muito tempo e since them tenho uma obsessão tremenda em tê-la, been there done that.

Andando despretensiosamente encontrei uma sebo bem pequena que eu nunca tinha visto de um senhorzinho bem simpático, por sinal, não estava procurando na em específico quando eu vi o rose madder bem ali na minha cara por 20 dilmas. Eu amei essa capa, que me remete bastante as capas americanas dos livros mais antigos do rei.

Foi aí que a darkside, aquela arrebatadora de corações lançou creepshow e MANO não digo nada, apenas sintam o poder.

E para finalizar teve esse relançamento do a hora do lobisomem em capa dura CAPA DURA e ilustrado ILUSTRADO, já tenho a primeira versão (e amo), mas ver um trabalho tao bem feito e caprichado como esse da até uma alegria interior. E assim seguimos a coleção.

#Dezembro: O que teve de bão?

- 01 janeiro 2018 -
Parece que ainda ontem era 2017, minha nossa como passou rápido não? HAHAH Por isso seguimos exemplarmente nesse primeiro dia do ano para mostrar que blogueira exemplar que eu sou para já começar o ano bem com posts tapa buracos dizer tudo o que teve de bão no mês que passou, mais conhecido como ano passado.

Um gif que resume basicamente o que foi o mês de dezembro 

Assistindo: Depois que eu terminei de assistir Penny Dreadful sigo assistindo todos os filmes possíveis e imagináveis e um salve para o médico alemão. Aparentemente também sigo na tendência de gostar de Hemlock Grove que eu comecei a assistir a pouco por motivos de: é o mesmo cara que faz o remake do it (SIM) digo apenas isso. VEREMOS SE É BOM.

Lendo: Li o médico alemão (que é tão bão quanto o filme, na verdade. achei mais detalhado que o filme e mostra de fato para que o Josef Mengele veio ao mundo (bem triste) li também o cadillac de Dolan (que faz parte do livro de contos Pesadelos e paisagens noturnas I)

Ouvindo: Gostaria de dizer que desde que eu fui ao show do Jamiroquai, eu não me canso mais de ouvir Jamiroquai e pesquisar por coisas a respeito, porém caros amigos, não é bem essa a realidade hahaha (tenho ouvido Jamiroquai, a propósito essa música é a minha recém descoberta apesar de um pouco ~estranha eu tenho curtido muito) na verdade eu tenho ouvido freneticamente Iron Maiden, tudo o que eu tenho para fazer NA VIDA tem sido ao som de Iron Maiden. Um beijo Bruce, espero pelo lançamento da sua biografia nesse ano, hein? Flw Vlw

Querendo: Ir viajar porque estou de férias! E ter ganhado na mega sena, aquelas hahaha.

Retrospectiva-va-va 2017

- 31 dezembro 2017 -
Seguindo a tradição dos outros anos (2014, 2015 e 2016) estamos aqui para mais uma retrospectiva desse blog que foi meio fail e meio vitorioso nesse ano (até porque vencemos o BEDA e grande bosta isso não quer dizer nada hahah). Seguimos então.

Janeiro
Logo no começo do ano já teve essa tag que apesar de não ser exclusivamente do rei, tem perguntas que são baseadas nas obras do rei, daí que eu não me aguento e fui para SP de novo (pelo 194782179824 vez) e aqui está, SP me adota, nunca te pedi nada, ainda nesse ano tem uma das minhas grandes realizações, que era subir no terraço do Martinelli e sentir de perto a grandiosidade que é tudo aquilo (sim, foi emocionante pra mim) e teve também outra tag (porque o que mais fazemos por aqui são tags, não é mesmo?)

Fevereiro
Fevereiro foi um dos meses mais legais do ano, porque teve meu aniversário (devidamente registrado). Deus, eu preciso arrumar essas fotos, declarei o meu amor para a Sara e meu ódio pela segunda feira 13, eleita pior que a sexta 13. Também teve aqueles dias que eu fugi do Carnaval e fui parar em Santiago, mas isso fica para o próximo mês, porque como é possível perceber eu sou muito organizada.

Março
Só para constar que eu viajei para Santiago em Fevereiro e o primeiro post saiu só em Março, os outros posts saíram com ajuda do BEDA hhaha (risos nervosos). 

Abril
Abril foi quase um mês fail nesse blog (para variar) e teve só um post (bom) sobre umas semanas frustradas por ai, porque né, sempre acontece.

Maio
#FAIL :(

Junho
Parece que faz uns mil anos que eu fui ao show do Europe, mas ao contrário do que eu acreditava fazem apenas alguns meses heheh e teve também uma atualização (parte 20147021873) de livros do rei.

Julho
Julho só não se tornou mais um daqueles meses fail por conta dessa lista marota de todas as coisas que eu sigo sem entender,

Agosto

Agosto tem se tornado o mês mais atipico desse blog por motivos de BEDA (sinto um mix de saudades, volta tava legal com frio na espinha, chego até a suar frio), mas engraçado que eu sempre começo o BEDA com: o que é que eu vou escrever para postar e sempre termino com: o que é que eu vou escrever para postar, mas seguimos conseguindo. Nesse beda teve aquele dia que eu revelei micões, bem recorrentes na minha vida, by the way, mostrei também um pouco da minha casa do meu quarto digno da revista caras, minha coleção de mangás do cavaleiros do zodíaco e teve o restante dos posts da viagem do Chile que eu fiz lááááá no começo do ano, lembram? Aqui, discursei o que eu tenho feito da vida, o que eu levo na bolsa (nada interessante) e tem o post sobre essa música que me faz chorar, teve mais tag, porque a vida é feita de tags, uma obsessão chamada quase coleções, um dos posts que eu mais gostei desse ano, momentos fantásticos dos animes, teve um favoritos, o que eu salvaria se a minha casa estivesse pegando fogo, a minha eterna declaração de que eu prefiro os vilões (apenas na ficção, ok?) e uma leve atualização dessa coleção de livros do rei que nunca acaba um dia acaba.

Setembro
Em setembro eu discursei um pouco sobre como é a vida pós BEDA e ainda sentir toda aquela loucura de produzir posts 

Outubro
Outubro já começou a pré procrastinação de final de ano, por que com certeza foi o mês mais procrastinador na minha online e offline por isso só teve um relembrar é viver de todas as coisas que tiveram de mais ~interessante em Setembro, foi mals ae.

Novembro
#FAIL

Dezembro
Dezembro foi um mês tão parado quanto os demais, não fosse pelo show do Jamiroquai (que estará para sempre no meu ♥) e esse post maroto que eu conto um pouco sobre o que eu tenho feito da vida quando ninguém perguntou. E como pude esquecer, foi aniversário do blog, de 4 anos, um viva para nós!
Um salve para esse blog mais fail de todos os tempos

Aquele dia sobre seven days in sunny June

- 23 dezembro 2017 -
*Esse post é para ler ouvindo essa música*

É bem provável que o universo deve ter se cansado de me ouvir falando TANTAS VEZES que: "bem que o Jamiroquai poderia vir fazer um show no Brasil" (pelo menos umas 15 mil vezes por dia) e TCHARAM, ELES VIERAM, sim mil vezes (pq até agora eu não acredito que isso aconteceu de verdade).

Nas minhas contas já faziam sete anos que eles vieram ao Brasil pela última vez, mas segundo o google fazem apenas 4. Ninguém nesse mundo tem noção do quanto eu queria ter ido nesse último show que eles fizeram a 4 ou 7 anos atrás e o quanto eu fiquei frustrada por não ter ido (foram vários motivos que me impediram na época) e desde então eu arrasto (ou arrastava) essa frustração de ter tido um sonho podado quando estava ali a dois passos de mim, mas né o que passou ficou. Agora voltando a 2017 e sério não consigo explicar a sensação de ter estado ali assistindo ao vivo ao show de uma das minhas bandas (?) favoritas, vendo tudo aquilo a poucos metros de mim, a dança, a música a energia, o carisma, tudo isso junto, os significados pessoais que cada música tem para mim pipocando a todo momento na minha cabeça, a sensação de estar em um filme e MANO DO CÉU que maravilhoso, na verdade, não sei nem se eu tenho condições psicológicas para explicar a sensação tão maravilhosa que foi quando começou a tocar seven days in sunny June eu provavelmente já não existia mais.
Claramente eu quando começou a tocar seven days in sunny June

só consigo me lembrar do "NOSSA" que eu soltei na hora e isso ficou gravado no vídeo que nem sei como eu consegui registrar tamanha emoção hahahah (eu tô rindo por dentro, mas é de nervoso). OBRIGADA 2017.